(;) pesquisa

 

( ) tags

todas as tags

(») posts recentes

(.)Olá Porto

(:) Fazer-se à rua

(...) Um arquivo a explor...

(:) O Porto também é de f...

(.) Histórias do Porto à ...

(:) O Porto também é de f...

(") Cafés do Porto

(?) Os azulejos de São Be...

(:) O Porto também é de f...

(.) Se nos dessem o azul ...

(«) arquivos

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

subscrever feeds

Quinta-feira, 6 de Novembro de 2008

(!) Na prateleira- Porto vs Lisboa

 

Esta é uma luta séria, mas divertida. No campo de um livro, tendo como armas as palavras, dois Antónios, Eça de Queiroz e Costa Santos, entregam-se a um duelo na defesa da sua causa. O primeiro é incorrigivelmente tripeiro, o segundo é um fresco alfacinha, os dois, em pequenos textos galantes apresentam o que de melhor, de mais característico, tem o Porto e Lisboa.
O Douro contra o Tejo, francesinhas a gladiarem-se com pipis, SLB vs FCP, Majestic em disputa com a Brasileira, Duarte Pacheco às turras com Edgar Cardoso, São João à bulha com Santo António… uma batalha épica, um confronto de titãs. O livro vale a pena não só porque as causas são justas, mas porque é escrito com uma ironia elegante e e evoca histórias bem vivas, que merecem ser recontadas.
Eu por mim já decidi o vencedor. Até tenho de concordar com o adversário, com António Costa Santos: “A questão é essa: a gente [os lisboetas] esquece-se, ao contrário do que se passa no Porto. Diria até que, se Lisboa, por absurdo, pudesse invejar alguma coisa ao Porto, era isso: eles são bairristas a full time, a vida toda e mais seis meses. Ora isso até pode ser positivo para a saúde mental dos indivíduos: o ser humano precisa de causas, a vida tem de ter um sentido."  
 

( ) tags:
» publicado por DPontes às 00:22
» link do post | » comentar | » adicionar aos favoritos