(;) pesquisa

 

( ) tags

todas as tags

(») posts recentes

(.)Olá Porto

(:) Fazer-se à rua

(...) Um arquivo a explor...

(:) O Porto também é de f...

(.) Histórias do Porto à ...

(:) O Porto também é de f...

(") Cafés do Porto

(?) Os azulejos de São Be...

(:) O Porto também é de f...

(.) Se nos dessem o azul ...

(«) arquivos

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

subscrever feeds

Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007

(.) O Porto que importa


O que esteve em causa não foi só, obviamente, o facto de as autoridades terem deixado passar o 10.º aniversário da classificação do Centro Histórico do Porto a Património Cultural da Humanidade quase sem uma palavra. As celebrações podem ser sempre uma coisa vazia de sentido até porque, perante o abandono a que está votada a zona nobre da cidade, não há, de facto, muitas razões para celebrar. Mas a falta de amor-próprio perante a riqueza patrimonial da cidade, que suscitava a estranheza  dos turistas interrogados na semana passada pelo JN, é o sintoma de um mal-estar, que deve mexer com as consciências de todos aqueles que se querem reclamar herdeiros de uma história que só pode estar longe de acabar.


Por isso, o movimento de cidadãos que, este ano, pelo 11.º aniversário, decidiram, com alguma ingenuidade e muito voluntarismo, comemorar o Património Mundial, deve ser olhado como um exemplo de cidadania, independentemente da contabilidade final dos que decidiram dizer “presente” no momento da celebração.


Sem máquinas partidárias, sem dinheiro, numa noite fria de um dia de trabalho, unir algumas centenas de pessoas à volta de uma causa sem ganhos imediatos para os presentes é um feito, apesar de se poder esperar mais . Mas o maior ganho é o facto de a iniciativa ter ajudado a chamar a atenção  para a decadência a que continuam votados alguns dos centro históricos das nossas cidades, já que este não é só um problema do Porto.


O complicado problema urbanístico e social que representa o abandono dos centros históricos, não pode ser motivo para desistências, num país empenhado em aeroportos e comboios de alta velocidade. Se não temos o orgulho suficiente para defender a alma das nossas cidades, tenhamos pelo menos a visão para perceber a riqueza, a verdadeira indústria alternativa, que, para cidades como o Porto, representa a exploração turística do seu património.


O outro bom sinal da iniciativa deste “imPORTO-me” foi o de mostrar, claramente, que há vida para além do Estado, para além dos partidos, que cresce a vontade dos cidadãos se movimentarem contra as lógicas estabelecidas. E também não terá sido por acaso que  a celebração teve como epicentro as escadas do Palácio da Bolsa, sede da Associação Comercial do Porto, que, com o seu estudo sobre novo aeroporto  de Lisboa, mostrou que ainda há vozes a norte do Mondego que não se conformam. DPontes . Publicado no JN, a 4/12/07







» publicado por DPontes às 00:22
» link do post | » comentar | » adicionar aos favoritos
1 comentário:
De Paulo Ribeiro a 6 de Dezembro de 2007 às 18:32
É uma pena, de facto, que as atitudes menos conseguidas dos responsáveis da cidade, originem esta falta de vontade dos portuenses em celebrar aquilo que é a sua maior riqueza; o seu património histórico. Mas, desde há algum tempo, as manifestações vazias e de entertenimento fútil, promovidas pela a autarquia, concentram a atenção das pessoas, sem que estas reflictam sobre a vacuidade das mesmas, e aquilo que realmente destingue o Porto de qualquer outro local no mundo não merece sequer a sua atenção. Muito triste

» comentar post