(;) pesquisa

 

( ) tags

todas as tags

(») posts recentes

(.)Olá Porto

(:) Fazer-se à rua

(...) Um arquivo a explor...

(:) O Porto também é de f...

(.) Histórias do Porto à ...

(:) O Porto também é de f...

(") Cafés do Porto

(?) Os azulejos de São Be...

(:) O Porto também é de f...

(.) Se nos dessem o azul ...

(«) arquivos

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Fevereiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

subscrever feeds

Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

(...) O livro de Geografia


 


Em que local  começou o Porto? Muitos diriam que na zona da Sé, outros arriscariam que talvez na Ribeira. Pereira de Oliveira, no seu livro “O Espaço Urbano do Porto”, debruça-se sobre esse assunto e através de uma análise rigorosa em que cruza história e geografia, recorrendo à toponímia, à topografia, ao estudo de antigos mapas, à pesquisa de ruas e percursos, leva-nos por uma viagem do conhecimento à procura desse momento primordial da cidade. Mas este é só um dos capítulos do livro  “Espaço Urbano do Porto - Condições Naturais e Desenvolvimento”, editado em 1973, há muito tempo esgotado, e que agora as Edições Afrontamento decidiram reeditar.


“Além de constituir um marco da geografia nacional, esta obra pode ser considerada como indispensável ainda hoje para a compreensão da evolução da cidade”, escreve o geógrafo Rio Fernandes, na introdução ao livro, que terá sido o primeiro doutoramento em Geografia inteiramente consagrado ao estudo de uma cidade portuguesa.


Capítulos dedicados ao clima, à_vegetação, ao Douro, ao desenvolvimento e morfologia urbana e um volume anexo com precioso material gráfico, fazem com que esta seja uma obra incontornável para todos os estudam e gostam da cidade do Porto.


“Aqui se cruzam a solidez de conhecimentos da geografia física com os de geografia humana, se evidencia a importância do relacionamento da história com a geografia e se promove a referenciação espacial de um vasto conjunto de dados”, resume Rio Fernandes na introdução.


O autor Pereira de Oliveira, professor universitário de Coimbra já falecido, esteve ligado ao arranque do curso de Geografia da Universidade do Porto, cidade com a qual foi mantendo um contacto constante, quer através do trabalho que realizou na Santa Casa da Misericórdia, quer no Gabinete de Planeamento Urbanístico da Câmara , de que foi consultor entre 1978 e 2001. A cidade retribui-lhe em 2001, agraciando-lhe a medalha de ouro e o doutoramento Honoris Causa. Agora, em boa hora, volta a assistir ao lançamento da sua obra maior.


E_em que local começou o Porto? Pois, para o autor foi na Ribeira, mas para perceber como ele chega a essa conclusão vai ser preciso ler o livro. E não vai ser tempo perdido. DPontes Texto publicado no JN de 31/10/07. Imagem retirada do livro.

» publicado por DPontes às 23:29
» link do post | » comentar | » ver comentários (1) | » adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 29 de Outubro de 2007

(:) Num fio sobre o Douro


 



 



 


O fotógrafo Fernando Timóteo capturou a uma noite especial sobre o rio Douro. No sábado, foi a apresentação do festival TRIP- Festival Internacional de Rua, que se realizará em Setembro do próximo ano. Um aperitivo gostoso. DPontes . Fotos Fernando Timóteo

» publicado por DPontes às 16:57
» link do post | » comentar | » ver comentários (2) | » adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007

(:) Porto Gráfico - Grafitti 2


Rua do Bom Sucesso. DPontes

» publicado por DPontes às 00:39
» link do post | » comentar | » adicionar aos favoritos

(?) Por baixo das pedras


 


Por baixo das pedras há outras pedras, com muitas histórias por revelar. É um pouco deste universo que nos revelava o "Portvs - Boletim de arqueologia portuense", editado pela Câmara do Porto. Não são mais do que uma dúzia de páginas a cores, em que se dão conta, em pequenos artigos, das inúmeras escavações que decorrem um pouco por toda a cidade. O último número que me chegou à mão, e que suponho que é o último número editado, data já de Dezembro de 2006. É uma pena se se perder esta útil publicação. Será que não há ninguém que a "desenterre"? DPontes

» publicado por DPontes às 00:19
» link do post | » comentar | » adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

(.) Hotono


 


O Verão foi preguiçoso e deixou-se arrastar para o Outono. Ficamos rendidos a estas tardes douradas, ocupando as esplanadas que persistem, hesitando em trocar a roupa do armário, em abandonar os calções, suspirando pela relva nos pés ou pelo banho libertador de um pôr-do-sol. É um engano, uma partida entre estações, uma constipação no Estio, uma insolação na neve. Logo, logo, do céu virá a água para mergulhar os nossos dias na humidade da hesitação, devolvendo-nos à nossa invernal condição atlântica, onde o mar não é caminho, é barreira. Mas até lá aproveitemos, cavalguemos a luz. DPontes


 

» publicado por DPontes às 23:43
» link do post | » comentar | » ver comentários (4) | » adicionar aos favoritos
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

(:) Porto Gráfico - Grafitti 1


Rua Antero de Quental DPontes

» publicado por DPontes às 00:36
» link do post | » comentar | » ver comentários (4) | » adicionar aos favoritos
Domingo, 14 de Outubro de 2007

(.) Óscar Lopes e o Porto


 


Esta é uma pequena prenda nos 90 anos de Óscar Lopes. Uma recolha de alguns dos seus textos sobre o Porto e os seus escritores editada por Cruz Santos com o apoio do JN. Uma outra paisagem a descobrir nas palavras de um mestre. DPontes

» publicado por DPontes às 23:57
» link do post | » comentar | » ver comentários (1) | » adicionar aos favoritos
Sábado, 13 de Outubro de 2007

(...) Carros amarelos


 



 



 


 Gosto de ouvir o ronronar desajeitado dos carros amarelos. Sempre empertigados na sua labuta de serviço público, mas sempre no treme-treme, rezando para que à frente das nervuras prateadas, não se atravesse um inoportuno que impeça as suas rodas de ferro de deslizar. Seja bem-vindo, senhor eléctrico ao centro da cidade.



Em falta, por não ter experimentado as novas linhas, encontrei esta outra forma de navegar a bordo dos carros amarelos, nas fotografias de Guido de Monterey, do livro “O Porto – Origem, evolução e transportes”. De cima, para baixo: Inauguração da linha 4 (Praça/ Pereiró), a 21 de Dezembro de 1947; A rua de Santo António, que até 1951 manteve trânsito nos dois sentidos; Eléctricos junto à Igreja dos Congregados e ruas Sá da Bandeira e de Santo António. No livro, o autor enumera pacientemente o percurso das mais de 40 linhas que chegaram a existir... DPontes 


 

» publicado por DPontes às 23:18
» link do post | » comentar | » ver comentários (1) | » adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

(!) Se esta rua fosse minha...


Foi no dia em que os paralelos se levantaram …



 


na rua, onde a torre vigiava a pop encantada




… para a menina que dançava “corpo de linho/lábios de mosto/meu corpo lindo/meu fogo posto”…




 …foi na festa em que instauraram a República dos que ousam sonhar de pé.


 


No feriado dia 5 de Outubro, o Plano B levou por diante a sua proposta “Se esta rua fosse minha…”. Foi de muita gente, durante todo o dia, noite dentro, na rua Cândido dos Reis mostrou-se que por muito mau que seja o deserto, o Porto continua bem desperto.DPontes

» publicado por DPontes às 22:41
» link do post | » comentar | » ver comentários (1) | » adicionar aos favoritos
Sábado, 6 de Outubro de 2007

(!) O Porto a voar mais alto


 


Este é o Porto que eu gosto, a fazer-se de braços abertos para quem lhe pode trazer valor, a aproveitar as oportunidades, atento e não rendido às circunstâncias, lendo as suas características próprias. A atenção dada pelo aeroporto Sá Carneiro aos seus viajantes galegos é uma prova de inteligência a seguir noutros sectores. DPontes

» publicado por DPontes às 00:42
» link do post | » comentar | » adicionar aos favoritos